Terça-feira, 22 de Janeiro de 2013

zero dark thirty (2012)




a polémica em torno de algumas das cenas de Zero Dark Thirty é um tema absolutamente válido, mas que tem pouco a ver com a obra cinematográfica em si, e daí não vou entrar nessa discussão neste espaço. como filme, Zero Dark Thirty roça a perfeição no seu género. a dupla kathryn bigelow / mark boal volta, depois de Hurt Locker, a mostrar uma vez mais o seu brilhantismo na tarefa de pegar em factos históricos recentes e pô-los em cena como se de um semi-documentário se tratasse. nessa fronteira entre realidade e ficção com largas doses de realidade é notável o ritmo do filme, a qualidade do argumento e a densidade das personagens, sobretudo da principal, maya, interpretada por uma jessica chastain sobre a qual já há pouco mais a dizer, uma vez que enche o ecrã de uma forma ímpar e depois de um 2012 em que participou em vários filmes de qualidade irrepreensível, entra 2013 com esta prestação digna de globos e óscares, quer o último chegue quer não. prémios à parte, Zero Dark Thirty é um filme que merece ser visto, e sobretudo pensado.

publicado por menospipocas às 18:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 4 seguidores

.pesquisar

 

.Agosto 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. les chevaux de dieu (2012...

. her (2013)

. inside llewyn davis (2013...

. tabu (2012)

. killer joe (2011)

. the paperboy (2012)

. zero dark thirty (2012)

. liberal arts (2012)

. vertigo (1958)

. formas alternativas de ve...

.arquivos

. Agosto 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Junho 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

.links

.Google Analytics

.Sitemeter

SAPO Blogs

.subscrever feeds